A QUESTÃO DA TÉCNICA: O perigo da desumanização do humano

Wellington Lima Amorim, José Roberto Carvalho da Silva

Resumo


Pretende-se discutir a essência da técnica moderna segundo Martin Heidegger. A questão que segue nos remete a abandonar as concepções instrumentais e antropológicas, pois a essência da técnica não é nada técnica, muito menos está sob o domínio do homem. E importante ressaltar, que da técnica buscamos o verdadeiro, a essência. O texto chave da abordagem é o A questão da técnica do próprio Heidegger, juntamente com outros que servirão de base, como por exemplo, Ser e Tempo para a nossa discussão. A essência da técnica está oculta, e cada vez mais, para desvelá-la, é preciso sair do próprio âmbito que ela domina. Sabemos que, para Heidegger, a história do pensamento é a historia do esquecimento do Ser, ou seja, da Metafísica. Mas o que a essência da técnica moderna tem a ver com esse esquecimento? Aquilo que a técnica desencobre é justamente o completo esquecimento do Ser em prol da exploração do ente, inclusive do homem. O motor principal da pesquisa recai justamente sobre as consequências que o ente humano deve sofrer diante desse destino, pois Heidegger conclui que o desencobrimento técnico moderno anuncia a própria extinção do homem enquanto ente capaz de questionar o Ser. Mas, segundo o filósofo há uma saída possível. Ao reconhecermos esse perigo enquanto perigo, a técnica pode Ser também o que nos salva.

Texto completo:

PDF


ÂNIMA/Centro Universitário UNISOCIESC - Blumenau/SC Rua Pandiá Calógeras, 272 CEP: 89010-350 - Blumenau - SC Telefone: (47) 2111 2900 e-mail: rica@sociesc.com.br e-mail: oscar.dalfovo@unisociesc.com.br RIC@ - ISSN 1980-7031 CAPES/QUALIS

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia